O Que Leva Uma Pessoa Cometer Traição Conjugal?

postado em: Relacionamentos | 0
Existem diversas formas de declarar o motivo real da traição conjugal, não apenas por falta de caráter ou por canalhice.
Existem diversas formas de declarar o motivo real da traição conjugal, não apenas por falta de caráter ou por canalhice.

Uma das maiores mazelas, que um ser humano pode passar dentro de um relacionamento é a traição. A traição é visto como um grande mal, uma dor maior do que a morte. Muitos que já iniciam o relacionamento, acabam ficando com medo, pânico e o terror a respeito da traição. Já iniciam o relacionamento, pensando na possibilidade de ser traído. É a partir daí que surgem os ciúmes, as brigas e criam expectativas em excesso entre um e outro. Sim, quando criamos muitas expectativas, acabamos sermos grande candidatos a termos grandes decepções, mas deixemos isso como outro assunto. O que de fato leva uma pessoa trair? É muito fácil dizer o que proceder, quando isso ocorre, mas nunca é pensado no real motivo em que a traição é cometida, um motivo real, não generalizado. Muitos dizem que uma pessoa para poder trair, deve ser uma pessoa sem caráter. Mas vale lembrar que nem sempre a pessoa que trai, faz isso por si só, exceto se não houver respeito, nem mesmo amor por outra pessoa.

Viver uma vida a dois não é uma coisa completamente simples. É cheio de altos e baixos, sujeitos a diferenças entre um e outro. Amar é entender que o outro não é perfeito, nem mesmo é igual a você, nem mesmo podem amar da mesma forma. Se o casal não sabe reparar e se adaptarem com as diferenças que um tem por outro, a relação jamais dará certo, pois ali não existirá respeito, e por consequência, haverá uma falta de confiança, pois um vai querer ficar fazendo segredinhos com outros, trocando mentiras um com outros, até que os dois, cansados de mentir o tempo todo, começam a procurar relações extraconjugal, chegando a traição, até que a máscara cai. É nesse momento que as pessoas caem num completo desespero, numa grande decepção, uma grande frustração, que faz com que a pessoa cometa atitudes terríveis, causando até mesmo a morte.

Eu penso que uma das principais causas da traição conjugal, é o descontentamento com a própria relação conjugal em si. O descontentamento com o relacionamento pode ter motivos diversos, que envolve o financeiro, a vida sexual, o estilo de vida, em vários pontos que não atenderam as suas expectativas, alimentando as frustrações. A pessoa acaba tendo que procurar outra pessoa, para ter aventuras amorosas, mas não quer deixar a pessoa com quem jurou o amor eterno, porque ainda tem sentimentos com esta mesma pessoa, ou porque a pessoa está conformada e acomodada com um relacionamento cada vez mais saturado, ou por não perder as mordomias e privilégios que possui, seja por bens materiais, bem como um nome e a imagem que a pessoa passa para um determinado grupo de pessoas, ou para a sociedade como todo. Por fim, se a pessoa não tem confiança, respeito, nem mesmo amor com essa pessoa, com qual dorme e convive todos os dias, dividindo a sua vida, nada disso terá sentido, nada haverá sentido, de ter que conviver com essa pessoa a vida toda. Isso não tem nada a ver com o caráter da pessoa.

Eu também penso que se a pessoa realmente fosse um canalha ou cafajeste, sem compromisso em viver com o amor, esta pessoa jamais estaria disposta a manter uma relação amorosa, vivendo apenas em ter que se contentar com o poder de namorar várias pessoas indefinidamente, mas por outro lado, nem tudo é perfeito. Há quem inicie um relacionamento sério, mas continua praticando e pulando cerca, traindo a confiança da pessoa, não tendo nenhum respeito. Mas eu penso que essas pessoas realmente não amam de verdade, pois nem podem amar a si mesmos. Uma pessoa que não vive por amor, que não ama a si mesmo, jamais poderá manter uma relação conjugal. Para estas pessoas, vale mais tratar e ser tratados como meros objetos ou mercadorias, e não farão nenhuma diferença a respeito da traição.

Seja qual for o motivo, a traição é um grande rompimento dos laços conjugais, e acredite: quem trai, também acaba sofrendo, mas geralmente (vale lembrar que há exceções), a pessoa que traiu sofre bem mais que a pessoa que foi traída, a não ser se a pessoa não tiver mais nenhum sentimento por outro. Eu sempre disse que os três pilares da relação conjugal são confiança, respeito e amor. Há quem fala de sinceridade, mas eu penso que a sinceridade é parte integral da confiança, pois a confiança não é nada sem a sinceridade. Há quem diga que o amor tenha prazo de validade, o que discordo, pois eu penso que o amor pode ser renovado quantas vezes for necessário, para o casal evoluir juntos e alimentar a chama do amor. O que evita a traição conjugal, não é o ciúme, pois o mesmo ciúme pode ter efeito contrário. O que evita mesmo a traição conjugal, é confiança, respeito e amor. E quando ocorrer isso, é bom lembrar não é tempo de julgar e condenar, mas avaliar a si mesmo e a própria relação em si, pois ninguém trai sem motivo aparente, mesmo para aqueles que não se comprometem em manter uma relação conjugal.
Seguir Fábio Valentim:

Analista de Sistemas e Escritor

Uma pessoa que está sempre disposta a acreditar nos sonhos, no amor e na felicidade até as últimas consequências. Sou proprietário e editor-chefe do Baú do Valentim.