Por Que Crer em Deus?

O que significa Deus pra você?
O que significa Deus pra você?

A vida inteira eu passei acreditando em Deus, em um Deus que tem mostrado várias de suas facetas, ao longo de cada doutrina que me fora apresentado, ao longo de minha vida. Primeiramente eu fui evangélico, depois me tornei católico e agora, atualmente, não professo religião nenhuma. Pode ser por frustrações que tive ao longo da minha vida religiosa. Hoje eu não acredito mais em religião nenhuma, mas não deixei de acreditar em Deus, mas hoje vejo um Deus como uma força suprema, mais que uma pessoa, um Deus que vive em cada um de nós, que nos mostra a forma de viver o mundo. E acreditando nessa força, eu pude obter forças e grandezas da qual jamais pude imaginar em ter e ainda hoje sou grato por tudo isso.

Tenho percebido que o Deus que venero, é completamente diferente do Deus que me fora apresentado pelas religiões com qual passei. Me fora apresentado ao longo de toda a vida, um Deus implacável e perseguidor que pune severamente, qualquer um que não seguir certas doutrinas, mandando estas mesmas pessoas para o castigo eterno do inferno. Mas então eu pensei na consciência e percebo o quanto a minha consciência tem sido a minha grande companheira, o que me demonstrou corretamente, os caminhos em que estou seguindo. Confesso que tomei muitas decisões erradas, erros que ainda pago por isso, mas aprendi com eles e seria preciso superar toda essa fase, para construir a minha vida nova.

Cheguei até mesmo a questionar sobre a existência de Deus, em meio a tantas contradições dogmáticas e religiosas, em meio a tantas duvidas, em meio a tantas injustiças. Você pergunta se Deus é justo, quando uma jogador de futebol agradece a Deus, pelo gol, enquanto milhares de crianças passam fome. Poderiam afirmar que é exagero, mas aprendi em meio a confusões doutrinárias de que o cristianismo exige de seus seguidores, que devemos sempre olhar pelas necessidades do próximo, e ajudar aos necessitados, coisa que não ocorre na vida real. É o que mais vejo portanto, muito louvor e oração, para pouca ação, na verdade, o que é que realmente conta.

Como tenho dito, eu não creio nesse deus apresentado por estas doutrinas, não em Deus que fica lá em cima, fiscalizando cada ser que vive aqui na Terra, em meio a infinitos planetas e galáxias de todo o Universo, sem contar que há possibilidade de existir outros universos. A própria Bíblia, principalmente no Antigo Testamento, tem me apresentado um Deus sádico, que gosta de brincar com a vida das pessoas, pelo que bem entender, que amaldiçoa as mulheres tratando como inferiores. Não, eu penso que não há cabimento desses em acreditar neste tipo de Deus, eu prefiro em acreditar no outro Deus, diferente de tudo que vi, um Deus que não é ensinado em nenhuma igreja, em nenhum templo, creio que em cada um de nós, há um Deus diferente. Acredito na vida após a morte e que podemos conversar com pessoas que morreram, mas confesso que adoro essa crença, esse Deus, pois esse mesmo Deus que me permite pensar, muito ao contrário de Deus que me apresentaram, um Deus que não permite pensar, raciocinar…

Então porque crer em Deus? Penso assim, mas por que não acreditarmos em uma grandeza, em uma força que nos faz elevar até ao sublime, até mesmo a plenitude de todo o ser pessoal. Crer em uma divindade, em que não significa sermos marionetes de uma divindade, mas ter ela como companheira no mais íntimo de nosso ser, que nos ajuda a todo instante, mesmo que a sociedade, o mundo esteja contra você. Eu penso que as religiões, principalmente as religiões que se sustentam sobre dogmas, não me apresentaram o verdadeiro Deus, mas o Deus tão humano quanto nós, e tão infantil quanto os que seguem cegamente. Acreditar na grandeza que existe dentro de nós. Esse sim, é o grande princípio. Não é a questão de crermos, com medo de irmos para o castigo eterno, mas pelo que realmente dá sentido a nossa vida. Pois cá entre nós: de onde veio essa força que nos preenche, quando percebemos que toda a nossa própria força foi perdida?
Seguir Fábio Valentim:

Analista de Sistemas e Escritor

Uma pessoa que está sempre disposta a acreditar nos sonhos, no amor e na felicidade até as últimas consequências. Sou proprietário e editor-chefe do Baú do Valentim.