Uma Eleição pra Esquecer

Hoje sabemos dos resultados finais das eleições, sabemos quem vai governar ou roubar nos próximos 4 anos. Mas esta eleição não somente mostrou as propostas, as ofensas as críticas dos candidatos, mas a truculência das instituições que deveriam cumprir seu papel de garantir a democracia no país. Esta eleição foi uma eleição marcada pelas sabotagens, golpes dossiês, manipulações de imagens. Vemos claramente o quanto a imprensa é partidária e parcial, sem nenhum pudor. Sabemos que é comum haver troca de ofensas entre os candidatos, embora o mais importante, seja apresentar as propostas para o crescimento do Brasil.
Esta eleição é exatamente como ocorreu em 1989, onde o Brasil já engatinhava nos passos democráticos, depois de 20 anos do governo baseado nas baionetas e braço de ferro. Naquela época não havia rede mundial de computadores. Apesar de haver militâncias, a adesão é bastante tímida por conta disso, é facilmente silenciada e controlada. Como eu disse em outro artigo, estes golpistas ditavam as regras de comportamento e o povo seguia fielmente às suas cartilhas. Hoje, com o crescimento educacional e com a explosão da internet, as coisas ficaram diferentes, o povo passou a ser pensante e ativo na sociedade. A adesão tornou-se mais acelerada e rápida, e os mesmos golpistas, que ditavam cartilhas com os padrões de comportamento social, agora, se sente intimidada com mentes pensantes e cada vez mais independentes das suas amarras.
Nesta eleição, a máscara caiu e a impensa ficou nua. A máscara começou a se desprender durante a Copa do Mundo, com as atitudes do nosso notório técnico da seleção brasileira, e começou a piorar ainda mais durante as eleições, se tornando militante e agindo como se fosse um partido político. Assuntos importantes como a Copa do Mundo de 2014, Olimpíadas de 2016, Saúde, Educação, estradas e transporte público, foram deixados de lado, e passaram a discutir temas como aborto e dossiês, usados apenas como pretextos. Vemos também as igrejas também agindo como partidos políticos. O Brasil deixou de ser um estado laico e passou a viver novamente a Idade Média, onde as bruxas eram perseguidas e queimadas na fogueiras nas praças públicas. Instituições sérias dentro da Igreja Católica, como a Canção Nova e Renovação Carismática, rasgaram seus ideais e seus objetivos, para poder agirem nada mais, nada menos que partidos políticos.
Por isso digo que esta eleição foi uma eleição pra esquecer. Uma eleição onde vemos com toda a clareza, os verdadeiros monstros que rondam o nosso país. Agora, que os reis estão nus, e pelo visto, ainda não sentiram a vergonha na cara. Eles já perderam toda a credibilidade e respeito que tinham no passado, tendo grandes chances de se tornarem grandes ruínas, como acontecera com grandes impérios do passado.
Artigos relacionados:

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on TumblrShare on VK
Seguir Fábio Valentim:

Analista de Sistemas e Escritor

Uma pessoa que está sempre disposta a acreditar nos sonhos, no amor e na felicidade até as últimas consequências. Sou proprietário e editor-chefe do Baú do Valentim.

Últimos Posts de