Sobre o Sexo Casual e Outras Questões…

postado em: Relacionamentos, Sexo | 0
O bom do sexo é não nos preocuparmos com nada, é nos entregar completamente um a outro de corpo, de mente e alma. E por fim, viver profundamente os prazer sem limites, para tocarmos as estrelas...
O bom do sexo é não nos preocuparmos com nada, é nos entregar completamente um a outro de corpo, de mente e alma. E por fim, viver profundamente os prazer sem limites, para tocarmos as estrelas…

Primeiramente eu ia falar apenas sobre o sexo casual neste texto, mas acabei me envolvendo em outras questões interessantes, que não posso deixar de lado. Eu bem que poderia dividir o mesmo em vários artigos ou até mesmo criar uma série, mas eu decidir fazer de uma forma generalizada e genérica, embora eu possa futuramente tocar em diversas questões e tabus a respeito do sexo. Mas agora, preferi dizer em um único assunto. Espero que os comentários deste texto possam gerar um bom debate e por fim, a explorar ainda mais o mundo do sexo com maior profundidade. Mas uma coisa que posso dizer é que sexo é a melhor coisa que foi inventada, pois nos mostra e revela quem realmente somos um para o outro e por fim, viver no prazer sem limites.

Por muito tempo, passamos a vida inteira sendo educados em nossa sociedade, de que sexo só pode ser para procriação e que o mesmo só deve ser praticado no casamento, única e exclusivamente entre os esposos. Ainda vivemos em uma sociedade, onde o sexo é uma coisa medonha e assustadora, tal qual um monstro gigante de várias cabeças que sopra gosma e fogo, que adora devorar criancinhas e adultos. Isso graças à religião o sexo nunca foi visto com bons olhos e ignoram que o mesmo sexo não é uma monstruosidade, mas uma bela flor que embeleza a primavera. O sexo é a maior manifestação de carinho e amor entre duas pessoas, é no sexo, onde todas as intimidades são reveladas e todos os segredos relevados. No sexo aprendemos a conhecer um ao outro na sua completa totalidade, em todas as qualidades e defeitos.

Logo, eu não acho lógico restringir o sexo a apenas a vida conjugal, pois os casais mais religiosos são os que menos praticam sexo, na maioria das vezes por medo ou por uma série de receios e restrições que a própria religião impõe para vida do casal. Como o sexo foi feito para libertar e para unir ainda mais os entes, porque ele deveria ser um instrumento restritivo apenas para procriação? Por que ter medo do sexo, se os mesmos estão casados entre si? O que importa é que além da troca completa de intimidade, ele deve ser um meio de fortalecer os laços afetivos e tornar uma relação sólida, quando o parceiros se entregam por completo no mais puro amor.

Por outro lado, existem os que praticam sexo casual, sexo sem compromisso, comumente praticado em relacionamentos abertos. Mas isso não se restringe a quem pratica o swing, isso é comum também entre amigos, colegas de trabalho ou uma garota que conheceu durante uma viagem ou na balada. Mas se o sexo é a maior manifestação de carinho e amor, então o que seria transar com pessoas que nunca vi na vida ou transar apenas por transar? Mesmo que as pessoas transam simplesmente por transar ou por dinheiro, ainda será criado um certo vinculo afetivo, pois houve portanto, uma troca ínfima de ínfima. A prostituição poderia contradizer tudo o que disse no começo, mas há pessoas que se sentem bem e realizadas, quando praticam sexo por esporte. Existem pessoas que se satisfazem apenas com orgasmos, existem outras que querem algo a mais para completar, o que cria fortes vínculos afetivos.

Sexo casual está intimamente ligado à liberdade, mas ao mesmo tempo ligado à exclusividade, pois isso é feito para sermos mais íntimos, pois é uma forma completa de trocar confiança. E isso não tem preço e tem valor incalculável, que nenhum milionário pode pagar.  E isso é uma forma de que confia totalmente no seu parceiro e por fim, poder chegar na mais completa felicidade, onde todos possam gozar juntos no maior de todos os prazeres, não somente uma parte, mas todos os envolvidos, pois o orgasmo é o direito e também é o objetivo principal. Claro que não devemos transar simplesmente nos preocupando em apenas gozar ou em apenas engravidar, ter filhos. O momento do acasalamento é o único momento, em que não devemos nos preocupar com mais nada.

Resumindo tudo isso, um verdadeiro sexo, aquele que digamos, feito com amor é o único momento em que não somente dois (ou mais) corpos se unem completamente, mas também as suas almas, embora haja essa corrente de banalização do sexo, onde o mesmo deve ser praticado apenas por esporte, simplesmente para ostentar aos seus amigos que transam com vários. Quem me conhece  pessoalmente, me acompanha pelo blog, ou até mesmo nas redes sociais, sabe que sou bastante liberal no assunto, mas valorizo muito sexo quando envolve corpo, mente e alma. Sim, o sexo quando envolve a totalidade de uma pessoa, digo que é um sexo bem feito e atingido com a perfeição. Neste caso, não seria apenas ver as estrelas e sim, tocar as estrelas…

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on TumblrShare on VK
Seguir Fábio Valentim:

Analista de Sistemas e Escritor

Uma pessoa que está sempre disposta a acreditar nos sonhos, no amor e na felicidade até as últimas consequências. Sou proprietário e editor-chefe do Baú do Valentim.

Últimos Posts de